Presidente do Iêmen diz que planeja transferência de poder

O presidente do Iêmen, Ali Abdullah Saleh, disse que planeja deixar seu cargo e seguir o plano de transferência de poder apoiado por Estados árabes, e criticou seus "maliciosos" oponentes, em discurso feito neste sábado para marcar a data islâmica de Eid al-Adha.

REUTERS

05 de novembro de 2011 | 14h36

Nove meses de protestos anti-governo paralisaram o empobrecido país, levando-o à beira de uma guerra civil, mas não resultaram na renúncia de Saleh, que está no poder há 33 anos.

O líder veterano já concordou três vezes em assinar um acordo de transição de poder mediado por um grupo de seus países árabes vizinhos, mas desistiu de última hora.

"Salientamos nossa intenção de continuar a apoiar os esforços que o vice-presidente Abd-Rabbu Mansour Hadi está fazendo à luz de seu mandato, a fim de completar um diálogo com a oposição e assinar a iniciativa do Golfo e seu mecanismo operacional... para chegar a uma legítima, pacífica e democrática transição", disse Saleh em um discurso distribuído pela agência estatal de notícias Saba.

Saleh, de 69 anos, incumbiu seu vice-presidente em setembro para liderar um diálogo com a oposição e assinar o plano do Conselho de Cooperação do Golfo em seu lugar.

O acordo pede que ele deixe o poder e conduza eleições presidenciais antecipadas.

(Por Mohammed Ghobari em Sanaa e Mohammed Mukhashaf em Aden)

Tudo o que sabemos sobre:
IEMENPRESIDENTE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.