Presidente do Iêmen negocia acordo para fim de crise

Saleh promete transição pacífica, mas não indica prazo nem condições do processo

Agência Estado e Reuters

24 de março de 2011 | 16h32

O presidente do Iêmen, Ali Abdullah Saleh, e o general mais graduado do país, Ali Moshen al-Ahmar, estão discutindo um acordo político no qual ambos renunciarão aos seus cargos em dias, em favor de um governo de transição liderado pelos civis, de acordo com três fontes familiarizadas com a situação. Saleh prometeu nesta quinta-feira, 24, transmitir o poder pacificamente, mas não deu indicação de tempo nem condições, segundo um comunicado dele transmitido pelo TV do Catar Al-Jazira.  

 

Veja também:

especialInfográfico:  A revolta que abalou o Oriente Médio

mais imagens Galeria de fotos: Veja imagens dos protestos na região

Os dois discutem o acordo enquanto permanece alta a tensão política no país da Península Arábica, informa o Wall Street Journal. Os dois, segundo as fontes, terão um plano de transição até sábado. Al-Ahmar, no começo desta semana, disse que estava se juntando com suas tropas à oposição, que exige o fim do regime de 32 anos de Saleh.

Na sexta-feira passada, a polícia e francoatiradores mataram mais de 50 manifestantes em Sanaa, a capital do país, onde ocorrem protestos contra Saleh desde fevereiro. Hoje, um policial foi morto em Áden, no sul do Iêmen, e pelo menos outros sete foram feridos quando a patrulha foi emboscada dentro da cidade. "Uma bomba explodiu no momento em que o veículo passava na rua, no bairro de Khor Maksar", disse um policial, sem dar detalhes do ataque. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.