Presidente do Iêmen promete lutar contra Al-Qaeda

O novo presidente do Iêmen, Abdrabuh Mansur Hadi, prometeu neste sábado que vai unir o Exército - dividido durante o levante contra seu antecessor - e travar uma guerra implacável contra militantes da Al-Qaeda.

AE, Agência Estado

05 Maio 2012 | 20h05

"Não vou tolerar a divisão no Exército e não permitirei qualquer tentativa de afastar o Exército de suas principais funções", disse Hadi, discursando para militares em Sanaa.

Em seu primeiro discurso público desde que assumiu o cargo após as eleições de fevereiro, Hadi disse que "há apenas um comando para o Exército e um comando para as forças de segurança".

Tropas dissidentes se aliaram aos manifestantes contra o regime do ex-presidente Ali Abdullah Saleh e combateram as forças de segurança e tropas leais ao antigo líder, que renunciou após um plano intermediado por países do Golfo Pérsico.

Alguns parentes e pessoas ligadas a Saleh continuam a comandar importantes forças de segurança, como seu filho Ahmed, que dirige a Guarda Republicana.

"Falar sobre estabilidade e proteção das pessoas e de seus interesses não tem sentido sem um Exército e forças de segurança fortes e unidos", disse ele.

Ele também prometeu intensificar a luta contra militantes da Al-Qaeda que se aproveitaram da fraqueza das autoridades para se reagruparem no sul e no leste do país.

"A luta contra o terrorismo ainda não começou e não estará encerrada antes que limpemos cada província e vila, de maneira que os desalojados possam voltar para casa em paz", afirmou.

Neste sábado, ataques aéreos do Exército mataram cinco militantes em Lawder, província de Abyan, sul do país. As informações são da Dow Jones e da Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Iêmen Al-Qaeda

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.