Presidente do Irã ameaça impor embargo aos "inimigos do Irã"

O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad,ameaçou nesta segunda-feira impor um embargo aos "inimigos do Irã" caso o Conselhode Segurança das Nações Unidas imponha sanções contra o programanuclear iraniano. "Se os inimigos do povo iraniano tentam impor um embargo ao Irã,nós também lhes imporemos um", disse Ahmadinejad, em declaraçõestransmitidas pela rádio iraniana, sem especificar a natureza dessasmedidas. Durante uma visita a um orfanato, o presidente do Irã acrescentouque um "embargo contra o Irã por parte dos países europeus eocidentais não afetará nossas decisões". Segundo a emissora, as afirmações do governante foram umaresposta "às recentes ameaças do Ocidente" de levar o caso sobre oprograma nuclear iraniano ao Conselho de Segurança da ONU. "Eles fizeram tudo o que puderam contra o Irã durante os últimos27 anos", disse Ahmadinejad, antes de acrescentar que este tipo decomportamento não é "algo novo". Este domingo, o porta-voz do Ministério do Exterior doIrã, Seyed Mohamad Ali Hosseini, reiterou que Teerã rejeitatotalmente a suspensão do enriquecimento de urânio. Os chanceleres dos Estados Unidos, China, Rússia, França, ReinoUnido e Alemanha decidiram na sexta-feira levar a polêmica nuclearcom o Irã ao Conselho de Segurança da ONU para o estudo de possíveisSanções. Os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança das NaçõesUnidas mais a Alemanha expressaram em Londres sua "profundadecepção" pela negativa iraniana em suspender seu programa deenriquecimento de urânio. A ministra do Exterior britânica, Margaret Beckett,disse que se chegou a essa conclusão depois que o negociadoreuropeu, Javier Solana, reportou detalhadamente suas últimas einfrutíferas gestões em Teerã.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.