Brendan Mcdermid/Reuters
Brendan Mcdermid/Reuters

Presidente do Irã defende diálogo 'difícil, mas possível' com comunidade internacional

Hasan Rohani diz que país tem trabalhado diariamente para evitar um enfrentamento militar

Redação, O Estado de S.Paulo

16 de janeiro de 2020 | 08h09
Atualizado 16 de janeiro de 2020 | 14h35

TEERÃ - O presidente do Irã, Hassan Rohani, declarou nesta quinta-feira, 16, que trabalha diariamente para impedir uma guerra no momento em que as relações entre Teerã e Washington vivem um período de grande tensão. 

"O governo trabalha diariamente para impedir um enfrentamento militar ou a guerra", assegurando que o diálogo do Irã com a comunidade internacional é "difícil, mas possível". 

Em 8 de janeiro, Teerã atacou com mísseis duas bases iraqueanas que abrigavam militares dos Estados Unidos em resposta ao ataque com drones que matou o general Qassim Suleimani, o principal militar iraniano, dias antes, em Bagdá. Dias depois, um avião com 176 pessoas foi derrubado por engano ao ser alvo de mísseis iranianos. 

O presidente do Irã afirmou ainda que seu país está enriquecendo mais urânio a cada dia do que antes da assinatura do acordo nuclear de 2015. "Estamos enriquecendo mais urânio do que antes do acordo", disse o mandatário. 

O acordo nuclear estipulava que o Irã não poderia exceder um limite de armazenamento de urânio de 300 quilos e nível de enriquecimento de 3,67%. O acordo nuclear ficou enfraquecido desde os Estados Unidos o deixou em maio de 2018 e voltou a impor sanções ao Irã, que o restante dos signatários (Rússia, China, França, Reino Unido e Alemanha) não conseguiu neutralizar.  / AFP e EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.