Presidente do Irã nega que seu país apóie Al-Sadr

O presidente do Irã, Mohammad Khatami, disse que Teerã não está apoiando o clérigo muçulmano xiita Muqtada al-Sadr e acusou os Estados Unidos pela violência na cidade sagrada de Najaf, informou a agência de notícias oficial do Irã, IRNA. Milicianos leais a Al-Sadr estão em choque com forças americanas e iraquianas na cidade, sagrada para os muçulmanos xiitas. "Nós nunca tomamos partido em favor de um ou outro grupo ou facção no Iraque", garantiu Khatami em conversa com jornalistas, ao ser questionado sobre um eventual apoio de Teerã a Al-Sadr. O Irã é um país islâmico com relações muito próximas com a comunidade xiita do Iraque. Os EUA temem que Teerã esteja tentando conter a influência de Washington sobre Bagdá e garantir, no futuro, um governo pró-iraniano no Iraque. O Irã nega qualquer interferência no país vizinho. Nesta segunda-feira, Khatami disse que os militantes leais a Al-Sadr "não provocaram as forças americanas desta vez, para que um ataque fosse justificado. As forças de ocupação desempenharam um papel essencial nesses ataques", publicou a IRNA. Khatami avaliou a situação como um momento de teste para o governo interino do Iraque. Saiba quem é o líder da rebelião xiita no Iraque, Muqtada al-Sadr

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.