Presidente do Irã quer que os EUA e a Rússia destruam suas armas

Teerã gostaria que os Estados Unidos e a Rússia destruíssem seus próprios arsenais nucleares, pois tais armas representam uma ameaça à estabilidade do Oriente Médio, declarou nesta segunda-feira o presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad."Nós também exigimos que o Oriente Médio seja um lugar livre de armas nucleares. Não só o Oriente Médio, mas sim o mundo inteiro deveria estar livre das armas nucleares", defendeu o líder iraniano ao ser questionado por jornalistas sobre o assunto."Nós acreditamos que essas armas, possuídas pelas superpotências e pelos ocupantes de nossa área, representam uma ameaça à nossa estabilidade", prosseguiu.O líder iraniano fez os comentários durante uma breve visita ao Kuwait nesta segunda-feira. Trata-se da primeira viagem de um presidente do Irã ao Kuwait desde a Revolução Islâmica, em 1979. Ahmadinejad reuniu-se com o novo emir kuwaitiano, xeque Sabah al-Ahmed al-Sabah.Numa conversa com jornalistas antes de regressar ao Irã, Ahmadinejad não falou sobre o anúncio do último domingo referente aos planos de um projeto russo-iraniano de enriquecimento de urânio em usinas na Rússia.O acordo, em princípio, é visto como um avanço nas negociações internacionais referentes ao programa nuclear iraniano. Os Estados Unidos acusam o Irã de desenvolver em segredo um programa nuclear bélico. Teerã assegura que suas usinas atômicas têm fins exclusivamente pacíficos de geração de energia elétrica.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.