Presidente do Irã torce pela morte de Sharon

O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, disse ter a esperança de que o premier de Israel, Ariel Sharon, morra. Sharon está internado em estado grave, depois de sofrer um derrame cerebral e passar por sete horas de cirurgia. "Espero que as notícias de que o criminoso de Sabra e Chatila se uniu a seus ancestrais sejam definitivas", teria dito Ahmadinejad, de acordo com a Agência de Notícias dos Estudantes Iranianos.Ahmadinejad referia-se a Sharon, que como ministro da Defesa de Israel dirigiu, em 1982, a invasão do Líbano. Uma comissão de investigação do próprio governo israelense responsabilizou-o pelo massacre de palestinos nos campos de refugiados de Sabra e Chatila, cometido por milicianos cristãos.A mídia estatal iraniana não transmitiu a declaração atribuída ao presidente Ahmadinejad. Nos últimos dois meses, o líder iraniano referiu-se ao Holocausto como um "mito" e que se os europeus realmente acreditam que crimes foram cometidos na 2ª Guerra Mundial contra os judeus, deveriam instalar o Estado de Israel na Europa. Ele também pediu que Israel fosse "riscado do mapa".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.