Presidente do Iraque pede diálogo entre Síria e EUA

O presidente iraquiano Jalal Talabani disse em declarações exibidas no domingo que vai pressionar por um diálogo entre os Estados Unidos e a Síria. Segundo ele, o governo sírio está ajudando Bagdá a combater o terrorismo. Talabani, que fez uma visita à Síria no início deste mês, disse que não recebeu nenhum pedido para fazer a mediação entre Damasco e Washington de nenhuma das nações. Mas "vou, pessoalmente, buscar mostrar uma imagem verdadeira das intenções e da política da Síria com relação ao governo norte-americano, e vou buscar encorajar nossos amigos americanos a dialogar com a Síria", disse ele à televisão Al Arabiya. Os laços entre a Síria e os EUA esfriaram quando o presidente Bashar al-Assad se opôs à guerra liderada pelos EUA no Iraque em 2003. Autoridades iraquianas e norte-americanas costumam acusar a Síria de não fazer o bastante para parar o fluxo de militantes que cruzam as fronteiras iraquianas para lutar contra as tropas lideradas pelos EUA. Damasco disse várias vezes que fazia o possível para controlar a longa e deserta fronteira entre os dois países. "A Síria quer estabilidade no Iraque e está nos apoiando na luta contra o terrorismo. Não há justificativa para uma posição rigorosa (dos EUA) com relação à Síria", disse Talabani, que morou na Síria quando estava exilado nos anos 1970. "Seria melhor que os Estados Unidos dialogassem com a Síria", disse Talabani quando questionado sobre qual seria seu conselho ao presidente dos EUA, George W. Bush, que rejeitou negociações diretas com a Síria e o Irã, ignorando uma recomendação do Grupo de Estudos sobre o Iraque. As relações dos EUA com a Síria ruíram em 2005, depois do assassinato do ex-premiê libanês Rafik al-Hariri, um antigo aliado sírio que se tornou inimigo. Muitos políticos libaneses acusaram a Síria pelo assassinato de Hariri, uma acusação negada veementemente por Damasco. A Síria e o Iraque restauraram os laços diplomáticos apenas no mês passado, depois de um rompimento nos anos 1980 quando Damasco, sozinho no mundo árabe, ficou ao lado de Teerã durante a guerra entre Iraque e Irã. Talabani disse durante sua visita à Síria, a primeira feita por um presidente iraquiano em 30 anos, que o Iraque iria pedir à Síria a entrega de importantes assessores de Saddam Hussein suspeitos de terem roubado milhões de dólares e de terem ajudado a insurgência anti-EUA.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.