Presidente do Iraque rejeita eleições provinciais

Talabani afirma que projeto aprovado sem metade dos integrantes do Parlamento deve passar por nova votação

Associated Press e Reuters,

23 de julho de 2008 | 10h44

O presidente do Iraque, Jalal Talabani, declarou-se contrário a um projeto de lei que abriria caminho para a realização de eleições provinciais no país nesta quarta-feira, 23. A proposta é apoiada pelos Estados Unidos. Talabani, um curdo, afirmou ter "confiança de que o conselho presidencial não aprovará" o projeto de lei.   Talabani disse não poder aceitar a entrada em vigor de uma lei aprovada por apenas 127 deputados (menos da metade do total de integrantes do Parlamento). Ele ainda defendeu que o projeto de lei seja reapreciado. O Parlamento iraquiano aprovou a proposta na terça-feira, apesar de a bancada curda ter boicotado a votação.   A realização das eleições regionais é considerada essencial para a reconciliação dos vários grupos do país, especialmente os árabes sunitas, que boicotaram as eleições provinciais de 2005. Após o anúncio de Talabani, segundo a AFP, a Casa Branca reiterou o pedido para que o país celebre eleições regionais até o final deste ano. "Os iraquianos disseram que querem tentar realizar eleições daqui para o fim do ano. Nós acreditamos que é importante", disse a porta-voz da Casa Branca Dana Perino.   O Parlamento do Iraque aprovou a que orientaria as próximas eleições provinciais, apesar do boicote dos parlamentares curdos, indignados com um artigo referente à disputada cidade de Kirkuk. A aprovação do projeto vinha sendo adiada devido à disputa sobre como será a votação na cidade multiétnica de Kirkuk. Os curdos dizem que a cidade deveria pertencer à semi-autônoma região do Curdistão, enquanto os árabes defendem que ela permaneça sob a autoridade do governo central.

Tudo o que sabemos sobre:
Iraque

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.