José Méndez / EFE
José Méndez / EFE

Presidente do México ajudou irmãs de 'El Chapo' com visto

Advogado do narcotraficante anunciou que pretende pedir novo julgamento para seu cliente

Redação, O Estado de S.Paulo

22 de fevereiro de 2019 | 21h58

CIDADE DO MÉXICO - O presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, reconheceu nesta sexta-feira, 22, que instruiu seu governo a interceder por duas irmãs do narcotraficante Joaquin “El Chapo” Guzmán, para que obtenham vistos para os Estados Unidos.

O presidente disse que em sua recente viagem a Badiraguato, cidade do Estado de Sinaloa, onde Guzmán nasceu, recebeu de um advogado uma carta da mãe do narcotraficante, que no dia 12 foi considerado culpado de levar mais de 130 toneladas de drogas para os EUA.

Advogados do ex-líder do cartel de Sinaloa informaram, na semana passada, que a carta também solicitava um visto para María Consuelo Loera, mãe de Guzmán, mas o presidente disse que o pedido era apenas para as irmãs.

Anulação

Chapo será sentenciado em 25 de junho e pode pegar prisão perpétua. Ele então será transferido para a prisão de segurança máxima de Florence, no Estado do Colorado. O advogado do narcotraficante, Eduardo Balarezo, anunciou hoje que pretende pedir um novo julgamento para seu cliente. 

“O senhor Guzmán planeja apresentar uma moção para um novo julgamento com base nas revelações da Vice News”, escreveu Balarezo em uma carta enviada ao juiz que presidiu o caso, Brian Cogan.

A Vice News entrevistou um dos 18 jurados anônimos do processo, que disse que vários integrantes do júri consultaram a cobertura do caso na imprensa e nas redes sociais durante o julgamento, violando as regras. A pessoa que contactou a Vice News falou na condição de anonimato e o jornalista não especificou se era homem ou mulher. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.