Presidente do México é operado

O presidente mexicano, Vicente Fox, foi submetido nesta quarta-feira a uma cirurgia na coluna vertebral, devido a uma hérnia de disco. Um comunicado da Presidência afirmou que a operação teve "êxito", mas não deu outros detalhes, que ficaram por conta dos cirurgiões que operaram o mandatário.A intervenção, que exigiu anestesia geral, começou logo após as 8h00 (hora local) e terminou às 11h50 no Hospital Central Militar da Cidade do México, onde o governante deverá permanecer durante três a quatro dias enquanto se recupera.Horas antes de ser internado, Fox cancelou suas atividades, que ficaram a cargo de seus secretários (ministros) do Governo e das Relações Exteriores, no momento em que o México mantém negociações delicadas a respeito do conflito com o Iraque. O médico que encabeça a equipe que o operou, Héctor Peón, disse na terça-feira que a decisão de uma intervenção cirúrgica foi tomada de última hora porque "o senhor presidente está sofrendo de fortes dores em sua coluna, que se irradiam pela perna esquerda". Peón assegurou que não se tratava uma cirurgia de alto risco. A operação consistiu em retirar uma hérnia de disco entre a quarta e a quinta vértebras lombares, que estava afetando os nervos e provocando intensas dores na cintura, costas e perna. O disco deveria ser substituído por um material especial, embora não tenham sido dadas maiores indicações a respeito. A previsão é de que Fox, que estava acompanhado de sua esposa Martha Sahagún e de seus quatro filhos, possa voltar a suas atividades no início da próxima semana. Enquanto isso, o secretário de Governo, Santiago Creel, será o responsável por atender aos assuntos internos do país. GuerraAo mesmo tempo, o chanceler Luis Ernesto Derbez deverá se encarregar de continuar as negociações diplomáticas do México perante o Conselho de Segurança (CS) das Nações Unidas, a respeito do conflito no Iraque. O México, que é membro não-permanente do CS, ainda não decidiu qual será o seu voto sobre uma resolução apresentada pelos EUA que estipula a data de 17 março como prazo final para que Saddam Hussein se desarme. Na terça-feira, líderes empresariais mexicanos opinaram que o México deveria apoiar os EUA. No entanto, o jornal El Universal afirmou hoje, citando funcionários não identificados do governo, que a administração de Fox se prepara para votar contra a guerra no Iraque.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.