Presidente do Paraguai propõe antecipar saída do cargo

Envolvido por esforços do Legislativo para afastá-lo, o presidente do Paraguai, Luis Gonzalez Macchi, propôs hoje deixar o cargo com três meses de antecedência. ?Se houver consenso político, estou disposto a entregar o poder ao meu sucessor imediatamente após as eleições de abril?, disse.Gonzalez Macchi, que enfrenta um procedimento de impeachment em andamento no Congresso, disse que apelaria ao Legislativo para antecipar a posse de seu sucessor, prevista para 15 de agosto. O Paraguai deve realizar eleições, presidenciais e legislativas, em 27 de abril.Líderes do Congresso não comentaram imediatamente a oferta do presidente, que vem uma semana após a aprovação do processo de impeachment. Ele é acusado de comprar um carro roubado e de desviar recursos públicos. O presidente afirma que sua decisão não foi influenciada pelas audiências de impeachment, que devem começar em 15 dias. Dois terços do Congresso são necessários para derrubá-lo. ?Não estou preocupado, pois não tenho nada a esconder?, disse. ?Não cometi nenhum crime?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.