Presidente do Parlamento iraquiano é afastado após agressão

Guarda-costas do sunita Mahmoud al-Mashhadani bateram em um deputado xiita

Agencia Estado

15 Junho 2007 | 02h48

O Parlamento iraquiano destituiu nesta segunda-feira, 11, seu próprio presidente, o sunita Mahmoud al-Mashhadani, como castigo pela agressão de vários de seus guarda-costas no último domingo contra um deputado xiita. Esta é a primeira vez na era pós-Saddam que se aplica uma punição semelhante nas instituições iraquianas. A destituição de Mashhadani, médico e antigo opositor a Saddam Hussein, foi decidida após um pacto entre a maioria xiita e a minoria sunita da Frente do Consenso Iraquiano, que prometeu propor outro candidato em uma semana. Segundo a distribuição de cargos por critérios confessionais, a Presidência do Parlamento é de um sunita. No pacto alcançado nesta segunda entre os dois principais líderes, o atual vice-presidente da instituição, Khaled Attiyah, ficará interinamente à frente da câmara até a nomeação do substituto de Mashhadani. Membros da guarda pessoal de Mashhadani teriam agredido no domingo o deputado xiita Firyad Hussein. Hussein denunciou que os guarda-costas de Mashhadani interceptaram seu carro e tentaram revistá-lo, a que o deputado se negou, alegando imunidade parlamentar. Enão, os seguranças teriam agredido o deputado e o levado aos escritórios do Parlamento para que "comparecesse" diante do presidente da câmara. Al-Mashhadani é membro da Frente de Acordo. Esta não é a primeira vez que o médico é envolvido com escândalos. Em 2006, ele sobreviveu a uma campanha de oposição de políticos xiitas e curdos para tirá-lo do poder após ele ter tratado como heróis alguns insurgentes que mataram tropas americanas. Em maio, Al-Mashhadani deu um tapa no rosto de um parlamentar sunita e o chamou de "escória" durante uma sessão.

Mais conteúdo sobre:
al-Mashhadani parlamento Iraque

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.