Presidente do Peru abre mão do sigilo bancário

O presidente peruano, Alejandro Toledo, abriu mão de seu sigilo bancário e patrimonial, assim como do conjugal, a partir de 2000, segundo o próprio presidente revelou em sua mensagem à nação do Congresso em ocasião do 183º aniversário da independência. "É um sinal firme e radical" da vontade de transparência, disse Toledo, que apresentou o pedido, formulado na véspera à Procuradoria Geral da Nação frente às graves denúncias contra ele, por corrupção e recepção de propinas, entre outras. A última dessas denúncias acusa o primeiro-casal de ter uma conta bancária em Luxemburgo com depósitos de pagamentos ilegais. Toledo pediu também que os ministros, congressistas, líderes políticos, candidatos à presidência, presidentes das regiões e prefeitos tomem igual decisão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.