Presidente do Peru corta o próprio salário mais uma vez

Em meio a críticas generalizadas, o salário mensal do presidente do Peru, Alejandro Toledo, foi novamente rebaixado, desta vez para US$ 5.400, dos US$ 18.000 que recebia quando assumiu a presidência, há dois anos. No domingo, Toledo havia anunciou sua decisão de reduzir o salário em 55%, em rede nacional de televisão. Hoje, a assessoria de imprensa da presidência, através de um comunicado, esclareceu que tal porcentagem será aplicada sobre os US$ 12.000 mensais recebidos pelo presidente até junho passado. A remuneração presidencial já sofreu duas reduções: inicialmente de US$ 18.000 a US$ 12.000, depois, em junho passado, a US$ 8.400. Desta vez, o conselho de ministros aprovou a redução de 30% com base no salário recebido antes de junho (US$ 12.000), só que o mandatário decidiu diminuir mais 25 pontos porcentuais por conta própria, totalizando uma remuneração bruta de US$ 5.400. Toledo afirmou que destinará parte do seu salário a um fundo para a educação de meninos engraxates.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.