Presidente do Quênia veta benefícios a parlamentares

O presidente do Quênia, Mwai Kibabi, vetou uma legislação na qual membros do Parlamento definiram um pacote de benefícios na última sessão antes das eleições nacionais. O projeto de lei adotado na última quarta-feira daria a cada parlamentar um bônus salarial de cerca de US$ 110 mil. O salário médio anual do Quênia é US$ 1,7 mil.

Agência Estado

12 de janeiro de 2013 | 15h57

A Comissão de Salários e Remuneração afirmou que é inconstitucional os legisladores definirem sua própria remuneração, considerando as leis da Constituição adotada no país em 2010.

O pacote também previa o fornecimento de guarda armada, passaporte diplomático, acesso à sala VIP em aeroportos e em funerais no Quênia. A lei ainda garantia ao presidente, vice-presidente e primeiro-ministro pacotes de aposentadorias privilegiados. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Mwai Kibabibônuseleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.