Presidente do Sudão diz que manterá tropas em cidade disputada

Omar al-Bashir afirma que cidade de Abyei pertence ao norte do país; Sudão do Sul a reivindica para si.

BBC Brasil, BBC

24 de maio de 2011 | 19h27

O presidente do Sudão, Omar al-Bashir, disse nesta terça-feira que não vai retirar suas tropas da cidade de Abyei, que é disputada entre o norte e sul do país.

As tropas do norte, de Bashir, tomaram a cidade no final de semana, em meio a confrontos no local.

O presidente diz que a área pertence ao Sudão do Norte e que responderá qualquer "provocação" feita pelas tropas do Sudão do Sul, que deve ganhar independência e se tornar um Estado próprio em julho.

Observadores temem que a disputa por Abyei sirva de estopim para uma nova guerra entre norte e sul.

As tropas de Bashir ocuparam a cidade depois de terem sofrido uma emboscada - atribuída ao Exército do sul - em que 22 pessoas morreram.

Disputas

Os dois lados lutaram durante décadas antes de concordarem com a divisão de poder no Sudão e com um referendo, cujo resultado levou ao atual processo de independência do sul do país.

Mas o status de Abyei, região rica em petróleo, ficou em suspenso. Um referendo para decidir o destino da cidade era previsto para janeiro, mas foi adiado indefinidamente.

Agências humanitárias calculam que cerca de 20 mil pessoas tenham abandonado a cidade nos últimos dias, por conta dos distúrbios.

A alta comissária da ONU para direitos humanos, Navi Pillay, disse ter recebido relatórios indicando que as tropas do norte estão bombardeando áreas civis da cidade.

E os Estados Unidos advertiram que o prolongamento no conflito na cidade pode colocar em perigo a proposta de perdão da dívida sudanesa, em um acordo que envolve bilhões de dólares.

O enviado dos EUA ao Sudão, Princeton Lyman, disse que, na atual situação, Washington não deve retirar o Sudão da lista de Estados patrocinadores de terrorismo - medida que abriria caminho para o aumento do comércio internacional sudanês.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.