Gregorio Borgia/AP
Gregorio Borgia/AP

Presidente do Sudão visita Quênia apesar de ordem de detenção do TPI

Al-Bashir é acusado pela corte por genocídio e crimes de guerra e contra a humanidade

Efe

27 de agosto de 2010 | 10h53

NAIRÓBI - O presidente do Sudão, Omar al-Bashir, segue ignorando contra a ordem de detenção emitida pelo Tribunal Penal Internacional (TPI) e visitou nesta sexta-feira, 27, o Quênia durante os atos de celebração para promulgar a nova Constituição deste país.

 

Al-Bashir foi um dos dignatários que assistiu ao evento junto a Kofi Annan, ex-secretário-geral da ONU, e chefes de Estado como Paul Kagame, presidente de Ruanda; Yoweri Museveni, presidente de Uganda; e Ahmed Abdallah Mohammed Sambi, presidente de Comores, entre outras personalidades do continente.

 

O Quênia é um país signatário do Estatuto de Roma que deu origem ao TPI, o que em teoria o obriga a colaborar com a corte e a prender acusados que pisem seu território.

 

O TPI emitiu em 2009 uma ordem de detenção contra Bashir por crimes de guerra e contra a humanidade e em 2010 outra por genocídio, as três acusações relacionadas com o conflito na região sudanesa de Darfur, que desde 2003 provocou uns 300 mil mortos e 2,7 milhões de deslocados, segundo números da ONU.

Tudo o que sabemos sobre:
al-BashirsudãoTPI

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.