Presidente do sul do Sudão faz primeiro apelo por independência

O presidente do Sudão do Sul pediu no sábado que os sulistas votem pela independência da região em um referendo, se quiserem ser livres, na declaração que chegou mais perto de pedir publicamente a separação da região produtora de petróleo.

REUTERS

31 de outubro de 2009 | 18h04

"Quando você chegar à urna, a escolha é sua: você quer votar pela unidade para se tornar segunda classe no seu próprio país, essa é a sua escolha", ele disse na catedral da capital Juba durante uma cerimônia para lançar a campanha de orações pelas eleições de 2010 e para um referendo em 2011.

"Se você quiser votar pela independência, para que você seja uma pessoa livre no seu Estado independente, essa vai ser sua própria escolha e nós vamos respeitar a escolha das pessoas."

Os comentários vão aumentar a pressão no difícil relacionamento entre o Movimento de Libertação do Povo do Sudão (SPLM, na sigla em inglês) e do dominante Partido do Congresso Nacional (PCN) do norte.

Os dois lados prometeram fazer uma campanha pela manutenção da unidade do Sudão atraente aos eleitores, quando eles assinaram um acordo de paz em 2005 para o fim da guerra civil.

Muitos sulistas, revoltados com a longa guerra e falta de desenvolvimento no sul desde o fim dos conflitos, estão pensando em apoiar a independência. Mas os líderes ainda não haviam falado abertamente do desejo pela separação.

Tudo o que sabemos sobre:
SUDAOSEPARACAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.