Presidente do Uruguai deverá anular decretos de anistia

O governo do Uruguai vai remover os últimos obstáculos pendentes para o julgamento de abusos de direitos humanos cometidos por oficiais da ditadura militar, entre 1973 e 1985, anunciou hoje Alberto Brescia, um assessor da presidência.

AE, Agência Estado

27 de junho de 2011 | 17h09

Governos anteriores emitiram decretos por meio dos quais quase 80% dos casos eram considerados cobertos pela lei de anistia aprovada em 1986. Aliados do presidente José Mujica no Congresso Nacional do Uruguai tentaram revogar a lei em maio, sem sucesso. Agora, segundo o assessor presidencial, o governo anulará as restrições e os casos poderão ser julgados. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.