Presidente do Zimbábue descarta críticas do Ocidente

O presidente do Zimbábue, Robert Mugabe, disse nesta quinta-feira, 15, que não se importa com as declarações do Ocidente em relação à sua política governamental, após ser acusado de mandar policiais torturarem um rival político na prisão.Fontes do partido de oposição ao governo de Mugabe disseram que a polícia torturou o líder do Movimento pela Mudança Democrática (MDC), Morgan Tsvangirai, além de outros membros de grupos de oposição no domingo, 11.No entanto, o governo sugeriu que Tsvangirai e seu grupo resistiram à prisão na última terça-feira, depois de serem acusados de apoiar uma campanha de retirar Mugabe do poder usando a violência.Os Estados Unidos está entre os países que condenaram fortemente as prisões, ameaçando intensificar sanções contra o Zimbábue. No entanto a União Européia e a ONU alertam para que estas restrições afetem apenas os líderes do país.A Austrália, por sua vez, disse que líderes da União Africana precisam apoiar uma ação contra a repressão no Zimbábue."Esta crítica vem do Ocidente como sempre. Quando eles criticam o governo por tentar prevenir a violência dentro de seu país, nós temos que assumir nossa posição e descartar o que eles falam", disse Mugabe.A polícia disse que três civis estavam extremamente feridos na última terça-feira, quando suspeitaram que membros do partido de oposição explodiram um posto policial em Harare."Nós acreditamos que estes ataques estão assumindo uma forma militar", disse o porta-voz da polícia Wayne Bvudzijenahe.No entanto, o MDC nega as acusações feitas por Mugabe e pela polícia do país.Situação de TsvangiraiTsvangirai, que foi preso durante um protesto contra o governo, está hospitalizado com ferimentos na cabeça. Ele disse que a polícia o torturou enquanto estava na cadeiaMembros do MDC disseram nesta quarta-feira que Tsvangirai sofreu um traumatismo craniano após conflito com polícia e que outros protestantes também estão no hospital com ferimentos similares.Mugabe, de 83 anos, está no poder desde a independência do Zimbábue em 1980 e freqüentemente acusa o MDC de ser um partido financiado por países do Ocidente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.