Presidente e premiê dividem tarefas políticas

Após assumir o comando do Kremlin em 2008, Dmitri Medvedev logo nomeou seu mentor, Vladimir Putin, primeiro-ministro e, quase que imediatamente, os dois dividiram as tarefas de presidente, evitando sempre dar declarações contraditórias. "Putin controla o governo, enquanto Medvedev cuida da política externa", afirmou Michael Emerson, pesquisador do Centre for European Policy Studies. "Apesar de o presidente ter interesse em assuntos domésticos, ele evita questionar as decisões do primeiro-ministro." De acordo com o especialista, Putin tem como prioridade manter seu "poder vertical" e recuperar o respeito pela Rússia como uma grande potência no âmbito internacional.

Talita Eredia e Renata Miranda, O Estado de S.Paulo

12 de junho de 2011 | 00h00

Já Medvedev apresenta-se como um democrata moderno, dedicado ao cumprimento da lei. Para as eleições do ano que vem, Emerson acredita que só haja uma solução: tanto Putin como Medvedev deveriam concorrer ao cargo de presidente.

"Seria um grande passo rumo à maturidade democrática na Rússia", disse Emerson. No entanto, segundo ele, se os dois concordarem e Putin for candidato único, será um grande retrocesso. "Putin, por mais uma década escolhido por ele, e não pelo povo, colocaria o premiê no mesmo nível de líderes autoritários árabes. Mas, enquanto o mundo árabe segue em frente, a Rússia estaria fazendo o caminho inverso."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.