Presidente e primeiro-ministro do Sri Lanka rompem impasse

A presidente e o primeiro-ministro do Sri Lanka romperam hoje um impasse de duas semanas e chegaram a um acordo sobre como trabalharem em conjunto para solucionar uma disputa de poder que ameaçou tirar dos trilhos os esforços para encerrar quase duas décadas de conflito entre o governo e os rebeldes do Exército de Libertação dos Tigres do Tâmil Eelam (LTTE). A presidente Chandrika Kumaratunga e o primeiro-ministro Ranil Wickremesinghe disseram que tentaram resolver juntos "questões de importância nacional" e indicaram uma comissão para assessorá-los, revela um comunicado emitido conjuntamente pelo gabinete dos dois líderes cingaleses. A declaração não oferece detalhes, mas diz que ambos voltarão a se reunir dentro de duas semanas "para levar adiante o processo de paz". Entretanto, apesar do anúncio, persistem os indícios de incerteza política nesta nação insular situada ao sul da Índia. O Partido da Liberdade, de Kumaratunga, informou hoje que está se aliando com o poderoso partido marxista Janatha Vimukhti Peramuna, indicando a possibilidade que em breve seja convocada uma eleição para contestar o primeiro-ministro. Kumaratunga considera que Wickremesinghe fez concessões demais aos rebeldes do LTTE durante o tempo em que negociou a paz com o grupo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.