Presidente é reeleito no Quirguistão sob acusação de fraude

Candidato da oposição retira candidatura; comissão diz que presidente foi reeleito com 88,9% dos votos

Efe,

24 de julho de 2009 | 09h17

O presidente do Quirguistão, Kurmanbek Bakiyev, foi reeleito por uma maioria arrasadora, segundo os dados preliminares oferecidos nesta sexta-feira pelas autoridades eleitorais dessa ex-república soviética na Ásia Central, em resultados que a oposição não reconhece e denuncia como fraudulentos.

Com um terço das urnas apuradas, Bakiyev aparecia com 88,9% dos votos, anunciou em entrevista coletiva concedida em Bishkek o presidente da Comissão Eleitoral Central (CEC) quirguiz, Damir Lisovski, citado pela agência russa "Interfax".

O presidente da CEC explicou que esses números correspondem à apuração de 969 dos quase três colégios eleitorais do Quirguistão. Segundo Lisovski, o ex-primeiro-ministro e líder do Movimento Popular Unido, Azlambeka Atambayev, conseguiu 6,29% dos votos, enquanto os outros quatro candidatos à Presidência não superaram 2% dada.

Um total de 79,38% dos cerca de 2,9 milhões de eleitores do Quirguistão participaram do pleito. "As eleições presidenciais transcorreram em um clima bastante tranquilo e amistoso", disse Lisovski ao fazer um resumo da jornada eleitoral de quinta-feira.

No entanto, a avaliação da oposição sobre o pleito é diferente da do presidente da CEC. "Não reconhecemos os resultados das eleições. Não são legítimas por causa do elevado número de irregularidades", declarou hoje Atambayev, que anunciou a retirada de sua candidatura no meio do dia de votação.

Ainda na quinta-feira, a oposição quirguiz já havia se negado a reconhecer os resultados das eleições, mas renunciou aos protestos, que foram proibidos pelas autoridades.

Tudo o que sabemos sobre:
Quirguistão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.