Presidente eleito anuncia plano para criar empregos

Obama diz que para obter 2,5 milhões de postos de trabalho investirá em reconstruções e fontes alternativas de energia

REUTERS, AP E AFP, O Estadao de S.Paulo

22 de novembro de 2008 | 00h00

O presidente eleito dos EUA, Barack Obama, anunciou ontem que está estudando um agressivo plano de recuperação econômica para criar 2,5 milhões de novos postos de trabalho durante os próximos dois anos. Obama planeja reconstruir pontes e modernizar escolas ao mesmo tempo em que desenvolve fontes alternativas de energia e automóveis mais eficientes. "Estes não são simplesmente passos para nos tirar dessa crise imediata, são investimentos de longo prazo em nosso futuro econômico que foram ignorados por muito tempo", declarou Obama em um programa de rádio semanal dos democratas.Um dia depois de os mercados americanos recobrarem força pela aparente escolha de Timothy Geithner para o cargo de secretário do Tesouro, Obama fez uma sombria avaliação da economia: "Se não agirmos de modo rápido e audaz, a maioria dos especialistas acredita que poderemos perder milhões de postos de trabalho no próximo ano.""Trabalharemos nos detalhes nas próximas semanas, mas será um esforço de toda a nação por dois anos para começar a criar empregos nos EUA e sentar as bases para uma economia forte e com crescimento", explicou Obama no programa de rádio.Os democratas do Congresso prometeram converter em prioridade o estímulo econômico em janeiro. Espera-se que o pacote inclua reduções de impostos para a classe média e milhões de dólares para projetos de obras públicas.Um trio de crises - de moradia, de crédito e financeira - afetou gravemente a economia dos EUA e analistas financeiros projetam que os problemas econômicos prosseguirão durante a maior parte de 2009.O presidente eleito indicou que estabelecerá a meta de criar 2,5 milhões de empregos até janeiro de 2011. Desde o início do ano, a economia americana perdeu cerca de 1,2 milhão de empregos, e Obama advertiu que se medidas não forem tomadas, o processo vai piorar. "Não existem soluções fáceis para esta crise, que veio fermentando durante anos e muito provavelmente piorará antes que ocorra uma melhora", declarou o presidente eleito.Segundo o Departamento de Trabalho, mais de 4 milhões de americanos estão no seguro desemprego, o número mais alto em 16 anos.NOMEAÇÕESTambém ontem, o presidente eleito, Barack Obama, confirmou Robert Gibbs como novo secretário de Imprensa da Casa Branca. Gibbs foi diretor de comunicação de Obama no Senado e porta-voz da campanha eleitoral democrata, além de ser conhecido como conselheiro influente junto ao presidente eleito. Além dele, Ellen Moran assumirá o cargo de diretora de Comunicação e Dan Pfeiffer foi nomeado vice do mesmo departamento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.