Presidente eleito promete paz na Chechênia

O presidente eleito da Chechênia, Alu Alkhanov, prometeu levar a paz e a estabilidade para a república sulista russa destroçada por uma guerra separatista que já dura mais de cinco anos. A oposição denunciou que a votação deste final de semana foi marcada por fraudes. Alu Alkhanov, o candidato apoiado pelo presidente russo Vladimir Putin, recebeu 74% dos votos.O presidente da comissão eleitoral chechena, Abdul-Kerim Arsakhanov, afirmou que não houve irregularidades e que o comparecimento às urnas foi de cerca de 85%, apesar de poucas pessoas terem sido vistas em vários postos eleitorais. A Federação Internacional para os Direitos Humanos Helsinki afirmou que "não existe na Chechênia o mínimo padrão internacional para a realização de eleições livres e justas" e que funcionários eleitorais russos mantiveram competidores fora da disputa a fim de garantir a vitória de Alkhanov.Autoridades esperavam que a eleição em outubro do presidente Akhmad Kadyrov fosse estabilizar a Chechênia, mas ele foi assassinado num atentado a bomba em maio e os combates, crimes violentos e sequestros continuaram sem dar sinais de abatimento. Na caótica entrevista coletiva hoje, Alkhanov, um policial que ocupa o cargo de ministro do Interior checheno, reafirmou a promessa de campanha de atrair investimentos para a economia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.