Presidente filipina visita território insurgente

A presidente das Filipinas Gloria Macapagal Arroyo, visitou hoje uma zona controlada por insurgentes muçulmanos e afirmou que os militares continuarão atacando os guerrilheiros. Horas mais tarde, Abu Sabaya, um líder do grupo extremista Abu Sayyaf, disse estar disposto a negociar a libertação de cerca de 24 reféns que são mantidos pelo grupo, embora tenha apresentado condições, entre elas a paralisação imediata da ofensiva militar.Sob forte esquema de segurança, Arroyo visitou Lamitan, uma aldeia localizada na ilha meridional de Basilan, onde uma batalha entre os guerrilheiros do Abu Sayyaf e o exército danificou uma igreja e um hospital dias atrás. Na vila, Arroyo abraçou uma mulher em prantos, cuja filha fora seqüestrada recentemente pelos guerrilheiros muçulmanos, e disse ao marido de outra mulher desaparecida que o governo fará "todo o possível para recuperá-la".Em uma entrevista coletiva concedida em Manila, o general-brigadeiro Edilberto Adan disse que, "ao que parece", o refém norte-americano de origem peruana Guillermo Sobero "está morto". Adan afirmou que sua conclusão fora baseada em parte pelas informações passadas por Francis Ganzán, um dos três reféns libertados na semana passada. Segundo Adan, Sobero teria morrido na noite do dia 11. "Não sabemos se foi executado (decapitado) ou se morreu de uma infecção", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.