Presidente francês Sarkozy e Bruni casam-se no Palácio do Eliseu

Governo publica comunicado oficial informando sobre a cerimônia civil

Crispian Balmer e Sudip Kar-Gupta, da Reuters, PARIS

02 de fevereiro de 2008 | 16h58

PARIS - O presidente francês, Nicolas Sarkozy, casou-se com a modelo e cantora Carla Bruni no Palácio do Eliseu, neste sábado, 2, três meses após o início do namoro entre eles.
"A srta. Carla Bruni Tedeschi e o sr. Nicolas Sarkozy gostariam de anunciar que se casaram esta manhã na presença de suas famílias e na maior privacidade", disse comunicado oficial do gabinete de Sarkozy.
O casal optou por uma cerimônia civil discreta, realizada pelo prefeito do distrito de Paris onde fica a grandiosa residência oficial do presidente
. "Casei duas pessoas que moram na Rue du Faubourg St Honoré, 55", disse o prefeito François Lebel à rádio Europe 1, mencionando o endereço oficial do Palácio do Eliseu. "A noiva trajava branco e estava belíssima, como sempre", disse ele, acrescentando: "O noivo também não estava nada mal."
Outra autoridade disse à Reuters que o casamento ocorreu às 11h (8h de Brasília) e a agência de notícias italiana Ansa publicou uma confirmação do casamento dada pela mãe de Bruni, Marisa Borini.
Sarkozy e Bruni indicaram no mês passado que planejavam se casar depois de um rápido romance e deixaram claro que seria um evento particular, longe dos olhos da imprensa.
A relação do casal vem atraindo a atenção da mídia e os índices de popularidade de Sarkozy despencaram nas últimas semanas, com os eleitores reclamando que o presidente está se concentrando demais em sua vida privada em vez de se dedicar aos problemas do país, incluindo a alta de preços e a queda da confiança do consumidor.
Agora que estão casados, pode ser que Sarkozy encontre menos dificuldades para administrar o relacionamento, uma vez que Bruni será a primeira-dama da França e poderá viajar com ele para destinos internacionais.
Surpresa e Oposição
Lebel disse que o casamento ocorreu em uma sala no primeiro andar do Palácio e durou cerca de 20 minutos. "Havia cerca de 20 pessoas, entre família e alguns íntimos", disse ele. O prefeito disse que o último chefe de Estado francês a se casar enquanto no poder foi Napoleão 3o, em 1853.
Sarkozy, de 53 anos, separou-se de sua mulher Cecília em outubro do ano passado, depois de um casamento de 11 anos, e 5 meses. Seus colegas disseram que ele ficou profundamente abalado pelo divórcio, ocorrido após sua posse como presidente.
No entanto, amigos dizem que ele começou a namorar Bruni, de 40 anos, no mês seguinte e eles foram fotografados visitando a Disneylândia de Paris em dezembro. O casal passou as festas de fim de ano no Egito e na Jordânia.
Fotos do glamouroso casal causaram um impacto negativo para Sarkozy na mídia. Ele freqüentemente era descrito como o ostentador. Um líder de oposição o caracterizou como um Luís 14, o Rei Sol francês. O namoro relâmpago também surpreendeu muitas pessoas próximas do presidente.
Bruni vem sendo retratada na imprensa como namoradeira e já teve relacionamento com os astros de rock Mick Jagger e Eric Clapton, assim como com o empresário norte-americano Donald Trump e o ex-primeiro-ministro socialista francês Laurent Fabius. Ela é uma simpatizante da esquerda, enquanto Sarkozy é um direitista, considerado um linha-dura da lei e da ordem.
A própria mãe de Sarkozy aconselhou-o a não se casar depois de seu divórcio e mesmo Bruni se manifestou contra o casamento. "Sou monógama às vezes, mas prefiro a poligamia e a poliandria", disse ela à revista Figaro há um ano. Ela tem um filho de um relacionamento anterior, enquanto Sarkozy tem dois filhos adultos de seu primeiro casamento, e um terceiro filho de seu casamento com Cecília.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.