Presidente iemenita vai retornar a seu país, diz agência

O presidente iemenita, Ali Abdullah Saleh, vai retornar a seu país depois de ter-se recuperado na Arábia Saudita de ferimentos causados num ataque a seu palácio, informou nesta terça-feira a agência estatal do Iêmen.

REUTERS

09 de agosto de 2011 | 13h04

Saleh foi para a Arábia Saudita tratar os ferimentos sofridos em uma tentativa de assassinato dois meses atrás, no auge da luta entre as tropas leais a ele e as forças de uma poderosa facção tribal que apoiava manifestações populares em massa, as quais pediam a saída do presidente do poder após 33 anos de regime autoritário.

A paralisia política no Iêmen por causa do futuro de Saleh deixou o país mais pobre do mundo árabe à beira da guerra civil e aumentou a preocupação na vizinha Arábia Saudita e nos Estados Unidos de que a crescente turbulência possa fortalecer a ramificação da al Qaeda no Iêmen.

Os EUA e a Arábia Saudita, ambos alvo de ataques da al Qaeda com base no Iêmen, tentaram conter a agitação por meio de um acordo para a saída de Saleh do cargo, formatado pelos países ricos do Golfo Árabe.

Saleh concordou com a proposta, mas recuou por três vezes pouco antes de assiná-la, o que desencadeou, na última vez, semanas de combates entre suas forças e as da facção tribal Hashed, que apoia as manifestações pela sua saída do poder.

Tudo o que sabemos sobre:
IEMENSALEHRETORNO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.