Efe
Efe

Presidente interino do Mali assume após golpe

Dioncounda Traore chega ao poder três semanas após soldados rebelados derrubarem o presidente anterior em um golpe de Estado

AE, Agência Estado

12 de abril de 2012 | 09h27

BAMAKO, MALI - O presidente interino do Mali, Dioncounda Traore, assumiu o cargo nesta quinta-feira, 12, restaurando a ordem constitucional neste miserável país africano três semanas após soldados rebelados derrubarem o presidente anterior em um golpe de Estado.

Veja também:

linkPresidente de Mali renuncia ao cargo

link Crise da fome evidencia efeitos do conflito líbio em região africana

Traore, líder da Assembleia Nacional, deverá servir como presidente por 40 dias, segundo a Constituição. Os mediadores locais, no entanto, reconhecem que o Mali precisará de mais tempo para organizar novas eleições.

O acordo para restaurar a normalidade constitucional no país foi acertado há quase uma semana entre a junta militar que tomou o poder, em março, e o bloco regional da África Ocidental, conhecido como ECOWAS, na sigla em inglês.

O presidente deposto, Amadou Toumani Toure, reapareceu no domingo depois de passar várias semanas desaparecido e apresentou sua renúncia oficial.

Toure estava há poucos meses do fim de seu último mandato quando o palácio presidencial foi invadido pelos golpistas, no último dia 21. A junta atribuiu o golpe ao fato de Toure não ter conseguido lidar com a rebelião que estourou no norte do país em janeiro. No entanto, foi apenas depois de sua deposição que os rebeldes tuaregues conquistaram as três maiores cidades da região e declararam sua independência.

A perda da porção norte do Mali, uma área maior do que a da França, mergulhou o país numa grave crise. Os combatentes estão divididos entre um grupo secular e uma facção islâmica que quer impor a lei da Sharia no norte malinês.

As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Maligolpepresidente

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.