Presidente iraniano acusa ONU de estar a serviço dos EUA

O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, disse hoje que a contínua violência no Líbano se deve, em parte, ao fato de a ONU só atender aos interesses dos Estados Unidos.O presidente disse isto durante uma entrevista ao programa 60 Minutes da rede de televisão americana CBS, oportunidade na qual responsabilizou Washington pela espiral de violência no Oriente Médio.Na entrevista concedida, a partir de Teerã, ao jornalista Mike Wallace, o governante respondeu a perguntas relacionadas à política dos EUA no Oriente Médio, às tensões entre este país e o Irã, à Guerra do Iraque e ao conflito no Líbano.Ahmadinejad disse que o Hezbollah, aliado do Irã, tem direito de se defender da ofensiva militar realizada por Israel desde 12 de julho.O Governo do Irã se juntou ao pedido de um cessar-fogo entre as partes em conflito, porém o governante afirmou que o apoio dos EUA a Israel dificulta o processo e que as Nações Unidas não fizeram o suficiente para melhorarem a segurança na região."Vemos que não está respondendo às atrocidades. Caso busquemos a raiz do assunto, veremos a mão dos britânicos e dos americanos", declarou Ahmadinejad.Além disso, o governante iraniano disse novamente que seu país não tem planos de desenvolver bombas nucleares e que apenas procura desenvolver tecnologia nuclear para melhorar seus recursos energéticos.Segundo Ahmadinejad, para o Irã "o tempo de (desenvolver) uma bomba ficou no passado" e seu programa nuclear tem fins pacíficos, porém o Governo de Washington o rejeita porque "se opõe ao progresso iraniano".O presidente iraniano acusou George W. Bush e seus partidários de quererem "monopolizar os recursos energéticos no mundo, pois caso consigam isso podem impor suas opiniões, suas políticas e seus pontos de vista em outras nações e, assim, forrar seus bolsos".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.