Presidente iraquiano adia reunião do Parlamento

O presidente interino do Iraque, Jalal Talabani, adiou de 12 de março para o dia 19 do mesmo mês a primeira reunião da nova Câmara, eleita em dezembro e que será a primeira não-provisória desde a derrubada do regime de Saddam Hussein, em abril de 2003. O adiamento foi pedido pela Aliança Unida Iraquiana (AUI), uma coligação xiita confessional formada por 16 partidos e grupos políticos, que obteve 128 das 275 cadeiras do Parlamento em dezembro. O decreto de Talabani foi emitido depois que a solicitação da AUI foi aceita também pelos vice-presidentes do Iraque, o xiita Adel Abdel Mahdi e o sunita Ghazi Al-Yawar. O objetivo é dar mais tempo aos diferentes grupos políticos para resolver suas divergências sobre a formação do novo governo, que também será o primeiro não-interino no pós-guerra, disse o porta-voz da Presidência, Kamran Kardaghi. Tareq al Hashemi, líder do Partido Islâmico (PI, sunita), criticou nesta sexta-feira na televisão Al-Jazira o adiamento da convocação. Ele considerou que a decisão de Talabani é "inconstitucional", e que a nova Constituição indica que o Parlamento deveria ter iniciado suas sessões no dia 12. O presidente do Conselho Supremo de Justiça, Medhat Al-Mahmoud, alegou que "a convocação se fundamenta na Constituição provisória, e não na Constituição permanente", aprovada em outubro.

Agencia Estado,

10 Março 2006 | 16h09

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.