Presidente israelense minimiza profanação da Basílica

O presidente de Israel, Moshé Katsav, minimizou neste domingo a profanação por três israelenses da Basílica da Anunciação de Nazaré (Galiléia), um dos lugares santos do cristianismo. "Esta provocação é grave e perigosa, porém se trata de um ato isolado que não tem nenhuma relação com o Estado de Israel", afirmou Katsav à rádio pública israelense. "Os responsáveis da comunidade cristã cooperaram com a polícia para que se entenda bem a dimensão real do caso", acrescentou, afirmando que "Israel protege todos os lugares santos, judeus, cristãos e muçulmanos". Na noite de sexta-feira, três israelenses, Haim Eliahu Habibi, judeu de 43 anos, sua esposa Violette, cristã de 40 anos, e sua filha Odetta, de 20 anos, lançaram foguetes na Basílica durante uma missa e provocaram um início de pânico entre os fiéis. Em seguida, ocorreram manifestações e choques que deixaram feridos. A família levava também pequenas bombas de gás em um carrinho de bebê. Na noite de sábado, um tribunal de Tiberíades prolongou por mais quinze dias sua detenção.

Agencia Estado,

05 Março 2006 | 04h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.