Presidente israelense será interrogado por novo escândalo

O presidente de Israel, Moshe Katsav, terá que responder mais perguntas da polícia sobre novas acusações, além das que já enfrenta, incluindo estupro e assédio sexual.Esse é mais recente em uma série de escândalos envolvendo as maiores autoridades do país, incluindo o primeiro-ministro, dois ministros e comandante de polícia.A mídia israelense reportou nesta segunda-feira, 26, que a autoridade escolhida para repor o comissário de polícia desistiu após ser desqualificado por um comitê por casos do passado contra ele."Após as últimas semanas onde uma nova queixa foi recebida e baseado nesta queixa a polícia questionará Katsav outra vez num futuro próximo", disse Micky Rosenfeld, porta-voz da polícia."São novas alegações, novas queixas. Elas não tem nada a ver com as acusações anteriores".Em janeiro, o procurador geral Meni Mazuz anunciou que iria indiciar o presidente por estupro, assédio sexual e fraude em casos de mulheres que trabalhavam em seu gabinete.Seguindo procedimento padrão em acusações envolvendo autoridades importantes, Mazuz disse que daria a Katsav uma última chance de se pronunciar antes de ser indiciado.Os advogados de Katsav receberam as evidencias, e a audiência está marcada para abril.Mas na segunda-feira, a polícia e o Ministério da Justiça disse que gostaria de questioná-lo novamente. "Nós dissemos à Suprema Corte que precisamos interrogar Katsav novamente, dessa vez sobre novas evidências", disse o porta-voz Moshe Cohen.O porta-voz se recusou a dar detalhes e disse não ter "uma data marcada ainda" para o interrogatório.Katsav concordou em se suspender do cargo, mas se recusa a renunciar. O gabinete de Katsav se recusou a comentar as últimas divulgações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.