AP Photo/John Minchillo
AP Photo/John Minchillo

Presidente mexicano compara discurso de Trump com retórica de Hitler e Mussolini

Pré-candidato republicano propõe expulsar os 11 milhões de imigrantes que vivem sem documentos nos EUA e construir um muro na fronteira com o México

O Estado de S. Paulo

10 de março de 2016 | 10h35

CIDADE DO MÉXICO - O presidente de México, Enrique Peña Nieto, criticou o pré-candidato republicano à corrida presidencial americana Donald Trump em razão de suas afirmações com relação ao seu país. Segundo o portal de notícias MercoPress, o líder comparou os discursos do magnata aos dos ditadores Adolf Hitler e Benito Mussolini para tentar chegar ao poder.

Em sua campanha eleitoral, o americano propõe, além de expulsar os 11 milhões de imigrantes que vivem sem documentos nos EUA e proibir a entrada de muçulmanos, a construção de um muro na fronteira com o território mexicano e cobrar que o país pague por ele.

Peña Nieto, que está na metade de seu mandato de seis anos, afirmou que uma retórica como a de Trump é a mesma que foi utilizada por Hitler e Mussolini, com resultados “fatídicos” na história da humanidade.

“Foi assim com Mussolini e Hitler: se aproveitaram justamente do contexto de um problema vivido pela população depois de uma crise econômica”, disse em uma entrevista publicada pelo jornal mexicano Excelsior.

O presidente ainda lamentou a promessa de Trump de construir o muro para frear a chegada de imigrantes ilegais aos EUA e o tráfico de drogas, e assegurou que sob nenhum circunstância o México pagará por isso.

No início de março, o ministro da Fazenda mexicano, Luis Videgaray, afirmou que "o México é um aliado fundamental para os EUA e que estes são um aliado fundamental para a competitividade da economia mexicana". "O que necessitamos é investir, ambos os países, em melhor infraestrutura, melhores pontes, mais instalações alfandegárias e em ampliar as vias", comentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.