Presidente mexicano condena massacre de imigrantes

O presidente do México, Felipe Calderón, condenou hoje em comunicado o massacre de 72 pessoas que, acredita-se, eram imigrantes que se recusaram a trabalhar como assassinos de aluguel para traficantes de drogas.

AE, Agência Estado

26 de agosto de 2010 | 14h33

"O presidente Felipe Calderón condena enfaticamente os atos nos quais 72 pessoas, supostamente imigrantes, perderam suas vidas no Estado de Tamaulipas", diz o comunicado. Ao menos quatro brasileiros foram mortos na ação.

Os grupos de traficantes estão usando "extorsão e sequestro de imigrantes como forma de financiamento e recrutamento porque têm tido problemas em conseguir dinheiro e gente (para trabalhar)", diz o documento, que atribui as dificuldades à ação do governo contra o tráfico de drogas. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.