Presidente palestino torna sindicato ilegal

O presidente palestino Mahmoud Abbas tornou ilegal o maior sindicato de trabalhadores da Cisjordânia e prendeu dois de seus oficiais superiores. O anúncio foi feito pelo escritório de Abbas após uma série de greves do sindicato que exigiam mais benefícios. Abbas declarou que as paralisações eram ilegais e "prejudicavam o interesse público".

Estadão Conteúdo

09 Novembro 2014 | 16h45

Moayad Amer, um funcionário do sindicato de 40.000 membros, afirmou neste domingo que os funcionários estavam tentando que seus líderes fossem liberados. "É o nosso direito ter um sindicato", declarou.

As prisões foram vistas como sinal de uma crescente intolerância a dissentes por parte de Abbas. O analista Jihad Harb disse que Abbas está governando "de forma autocrática" desde que perdeu o controle da Faixa de Gaza para o grupo militante rival Hamas em 2007. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
CisjordâniaMahmoud Abbas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.