Presidente paquistanês culpa terroristas por morte de Bhutto

Musharraf, que declarou 3 dias de luto, diz que o não 'sossegará enquanto não se livrar do terror'

REUTERS

27 de dezembro de 2007 | 14h50

O presidente paquistanês, Pervez Musharraf, afirmou que o assassinato da líder oposicionista e ex-premiê Benazir Bhutto foi realizado por terroristas.   Veja também: Oposição acusa Musharraf pela morte Paquistaneses protestam nas ruas Índia classifica ato como 'abominável' Para Rússia, morte provocará onda de terror Filha de dinastia, Benazir era figura polêmica Cronologia: A trajetória de Benazir Assista ao vídeo  Blog do Guterman: Guerra civil à vista  "Esta crueldade é obra dos terroristas contra quem estamos lutando", disse Musharraf em um breve pronunciamento na TV. "A maior ameaça ao Paquistão são estes terroristas", declarou. "Vejo unidade e apoio da nação...não sossegaremos enquanto não nos livrarmos destes terroristas, eliminá-los." O presidente declarou três dias de luto pela morte de Bhutto.

Tudo o que sabemos sobre:
PAQUISTAOMUSHARRAFBHUTTO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.