Presidente paquistanês pode trocar comando militar por votos

O presidente do Paquistão, PervezMusharraf, que vem perdendo força, pode abandonar o cargo dechefe das Forças Armadas em troca do apoio de partidospolíticos para conquistar um novo mandato presidencial, afirmouna terça-feira um jornal do país. Segundo o periódico Dawn, a proposta vem sendo discutidapor assessores de Musharraf e pela ex-primeira-ministra BenazirBhutto, que vive exilada em Londres. A discussão é parte dosesforços para selar um pacto de compartilhamento de poder. Musharraf, cuja popularidade despencou nos últimos meses,deseja conquistar um novo mandato presidencial de cinco anos noprocesso eleitoral que ocorre no Congresso entre a metade desetembro e a metade de outubro, antes de expirar, no final doano, seu mandato como chefe das Forças Armadas. Segundo os planos do dirigente, uma eleição geral seráentão realizada no final do ano ou no começo do próximo ano. Mas Musharraf, um fiel aliado dos EUA, depara-se com váriosobstáculos -- questionamentos jurídicos feitos com base naConstituição e, talvez, até mesmo protestos de rua --, o quealimentou dúvidas sobre a estabilidade dessa potência nuclear,considerada fundamental para os esforços de combate aoterrorismo e de estabilização do Afeganistão. Um acordo com Bhutto, que ocupou o cargo deprimeira-ministra por duas vezes e cuja legenda, o Partido doPovo Paquistanês, é considerada a mais popular do país,ajudaria Musharraf a conquistar um novo mandato. Mas Bhuttoinsiste que o presidente abra mão do comando das Forças Armadasantes de tentar reeleger-se.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.