Presidente quirguiz deposto se refugia no Casaquistão

O presidente deposto do Quirguistão, Kurmanbek Bakiyev, deixou o país hoje e se dirigiu para o vizinho Casaquistão, horas depois que disparos foram feitos durante uma manifestação na qual ele falava a partidários. Testemunhas disseram que um comboio com Bakiyev parou hoje rapidamente no aeroporto em Jalal-Abad antes de o avião decolar.

AE-AP, Agência Estado

15 de abril de 2010 | 12h38

Bakiyev foi para o vizinho Casaquistão, informou a Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE), dizendo que se trata de "um importante passo na direção da estabilização da situação", segundo comunicado publicano no site da entidade.

O próprio Bakiyev dissera que havia se encontrado com um representante do governo interino, que controla a capital quirguiz, Bishkek, e insistiu que novas conversações fossem realizadas em território neutro, sugerindo o Casaquistão. O governo provisório pediu a ele que saísse do Quirguistão, lembrando que o líder deposto seria processado se não tomasse tal medida.

Disparos

Tiros foram disparados mais cedo durante uma manifestação na cidade de Osh, sul do país, onde Bakiyev tentava reunir apoio na base de seu clã. Testemunhas disseram que os disparos foram feitos pelos guarda-costas que podem ter se assustado com a aproximação de um grupo de oponentes de Bakiyev.

Embora não haja relatos de feridos, os tiros deixaram claro que as tensões persistem na segunda semana de crise na ex-república soviética, que abriga uma importante base norte-americana que dá apoio à guerra no Afeganistão. A Rússia também tem uma base militar no Quirguistão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.