Presidente retomará tribunais de Guantánamo

O presidente americano, Barack Obama, retomará os tribunais militares da era de George W. Bush para um pequeno número de detentos da prisão de Guantánamo, revivendo um criticado sistema que ele denunciou, mas com novas proteções legais para os suspeitos de terrorismo, anunciaram ontem funcionários do governo.Obama suspendeu os tribunais militares horas após assumir o cargo, em janeiro, ordenando uma revisão dos casos, mas sem abandonar a estratégia Bush de processar os suspeitos de terrorismo. A retomada dos tribunais certamente enfrentará críticas de grupos liberais, já abalados com decisão tomada por ele na quarta-feira de impedir a divulgação de fotos de soldados americanos cometendo abusos contra prisioneiros no Iraque e Afeganistão.TORTURASA presidente da Câmara dos Representantes, a democrata Nancy Pelosi, acusou ontem o governo Bush de ter enganado o Congresso sobre o uso da tortura e defendeu-se das acusações de cumplicidade no uso de técnicas ilegais de interrogatório. "O governo induziu o Congresso a erros", disse Nancy, exigindo a criação de uma comissão para esclarecer o caso. Na semana passada, os republicanos acusaram Nancy, aliada de Obama, de saber das técnicas de interrogatório contra suspeitos de terrorismo desde 2002. Na ocasião, ela fazia parte de uma comissão que fiscalizava o serviço secreto e, segundo a oposição, nunca protestou contra a prática.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.