Presidente romeno acusa premiê de 'golpe fracassado'

O presidente da Romênia, Traian Basescu, acusou nesta segunda-feira o primeiro-ministro do país Victor Ponta e outros rivais políticos de tentarem desfechar um "golpe fracassado" contra ele, em um referendo pelo impeachment ao qual ele sobreviveu. Por falta de eleitores, o referendo do domingo foi declarado nulo.

AE, Agência Estado

30 de julho de 2012 | 15h55

Nesta segunda-feira, Basescu disse que aqueles que "organizaram este golpe fracassado deveriam ser responsabilizados ante às instituições do Estado". As declarações de Basescu deverão aprofundar a crise política na Romênia, que se agravou ao longo deste ano. O referendo foi organizado pelo governo de Ponta. A União Europeia (UE) e os Estados Unidos manifestaram a preocupação de que o premiê estivesse tentando afastar Basescu do poder. Ponta assumiu o cargo de primeiro-ministro em maio após a queda do ex-premiê Mihai Ungureanu, que era aliado de Basescu.

Basescu sobreviveu ao referendo de domingo porque a maioria da população não compareceu para votar. Segundo as autoridades eleitorais, 45,9% dos romenos foram às urnas no domingo, abaixo dos 50% exigidos para que a eleição fosse validada. A Romênia passou a integrar a UE em 2004, mas segue um dos países mais pobres do bloco europeu. Desde 2009 o país faz parte de um programa de socorro da UE e do Fundo Monetário Internacional (FMI).

A maioria dos romenos que votaram no domingo fizeram isso para afastar Basescu, que virou impopular, do cargo. Ponta, um social-democrata de 39 anos, defendeu o afastamento de Basescu. Ele afirmou que vê o desfecho da tentativa de impeachment como uma "vitória importante". Segundo ele, a legitimidade política do presidente foi enfraquecida. "Isso ajudará o governo e a maioria a conduzirem os projetos e políticas da nossa agenda", afirmou.

Já Basescu afirmou na manhã de hoje que apesar do "golpe fracassado" reassume o cargo com o objetivo de alcançar uma reconciliação entre os romenos. "Está claro que os romenos estão infelizes com o que aconteceu no país nos últimos anos", disse.

As informações são da Associated Press e da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.