Presidente salvadorenho pede desculpas por massacre

O presidente de El Salvador, Mauricio Funes, pediu desculpas formais nesta segunda-feira pelo massacre de El Mozote, que aconteceu em 1981, e reconheceu a responsabilidade do governo salvadorenho pelas mortes de 936 civis em uma operação contra a insurgência. Funes disse que o exército salvadorenho cometeu em dezembro de 1981 "o maior massacre de civis na história contemporânea da América Latina".

AE, Agência Estado

16 de janeiro de 2012 | 18h27

Funes era na época um jornalista e não tomou partido na guerra civil que devastou El Salvador durante 12 anos. Funes falou nesta segunda-feira como parte da comemoração dos 20 anos do acordo de paz que em 1992 acabou com o conflito salvadorenho. O presidente pediu perdão, em nome do governo, aos parentes das cerca de 75 mil pessoas mortas e 12 mil desaparecidas no conflito civil.

As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.