Presidente sírio visita Jordânia para aproximar países

O presidente sírio, Bashar Assad, e o rei da Jordânia, Abdullah, concordaram hoje que os árabes devem buscar uma postura unificada face aos desafios regionais. A informação é de um comunicado divulgado do palácio em Amã, após uma breve visita de Assad à Jordânia, em um esforço para reforçar os laços entre os países antes do encontro da Liga Árabe, ainda neste mês. Foi a primeira visita de Assad à Jordânia desde 2005 e ocorreu após encontros do presidente sírio na semana passada com líderes de Arábia Saudita, Egito e Kuwait.

AE-AP, Agencia Estado

20 de março de 2009 | 17h07

A Síria tem divergências com Egito, Arábia Saudita e Jordânia sobre vários assuntos, especialmente sua aliança próxima com o Irã e com militantes palestinos e grupos libaneses. O comunicado do Palácio Real aponta também que o rei e Assad ressaltaram a importância da reconciliação entre as facções palestinas. Essa questão chegou a um impasse ontem, quando as conversas mediadas pelo Egito entre os lados terminaram sem um acordo sobre um governo de união nacional.

O comunicado também informa que Abdullah e Assad discutiram a iniciativa de paz árabe, que prevê a retirada de Israel de todas as terras árabes ocupadas e o estabelecimento de um Estado independente palestino. A iniciativa, apresentada pela Arábia Saudita, ganhou apoio de outras nações árabes. Assad já retornou a Damasco.

Tudo o que sabemos sobre:
SíriaJordâniapresidenteAssad

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.