Presidente sudanês vai ao Egito apesar de mandado de prisão

Cairo não integra Tribunal Internacional que pediu detenção de Bashir por crimes de guerra em Darfur

AE-AP, Agência Estado

25 de março de 2009 | 09h13

O presidente do Sudão, Omar Bashir, chegou ao Egito para sua primeira viagem de destaque ao exterior desde a emissão de um mandado internacional de prisão para que responda por atrocidades cometidas em Darfur. A expectativa é de que Bashir seja recebido hoje pelo presidente do Egito, Hosni Mubarak, no Cairo. Esta é a segunda viagem de Bashir ao exterior em três dias, desafiando o mandado expedido pelo Tribunal Penal Internacional (TPI) no último dia 4. Na segunda-feira, Bashir fez uma breve visita à Eritreia, uma nação africana politicamente isolada.

 

Veja também:

especial Especial: O histórico de conflitos no Sudão

 

Já o Egito é um importante aliado dos Estados Unidos no Oriente Médio e um dos países mais influentes do mundo árabe. A carta do TPI determina que os países signatários devem deter pessoas contra as quais pesem mandados internacionais de prisão caso elas entrem em seus territórios. O Egito, no entanto, não é um signatário do TPI. De acordo com estimativas da Organização das Nações Unidas (ONU), mais de 300 mil pessoas morreram e cerca de 2,5 milhões foram obrigadas a fugir em cinco anos de conflito em Darfur.

 

A violência começou quando integrantes de tribos africanas da região pegaram em armas e rebelaram-se contra o governo sudanês. As tribos africanas queixam-se de décadas de negligência e discriminação. O governo iniciou então uma reação contra a insurgência durante a qual uma milícia árabe cometeu atrocidades contra a comunidade africana.

Tudo o que sabemos sobre:
SudãoEgitoDarfur

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.