Presidente Sul-Coreana promete punição por naufrágio

A presidente da Coreia do Sul, Park Geun-Hye, reuniu-se hoje com parentes dos passageiros desaparecidos após o naufrágio de uma balsa no mês passado. Ela prometeu que qualquer pessoa criminalmente responsável pelo acidente será "severamente punida" e confirmou que o número de mortes subiu para 244.

Agência Estado

04 Maio 2014 | 08h21

Oito corpos foram recuperados neste domingo, 18 dias após o acidente em que a balsa de 6,8 mil toneladas métricas e 476 pessoas a bordo afundou. A maioria dos passageiros era de estudantes, 58 continuam desaparecidos.

"Eu sinto uma responsabilidade ilimitada ... É de cortar o coração imaginar o que vocês estão sentindo", disse a presidente aos parentes das vítimas, em Jindo , a ilha mais próxima do naufrágio.

A reunião ocorreu dias depois da própria Park Geun-Hye ter pedido desculpas pelo fracasso de seu governo em combater os "males" sistêmicos e regulatórios que podem ter contribuído para o acidente. O naufrágio da balsa é um dos piores desastres em tempos de paz na Coreia do Sul e se tornou ainda mais chocante pela perda de tantas vidas jovens. Das pessoas a bordo, 325 eram alunos da mesma escola na cidade de Ansan, ao sul de Seul.

A indignação pública tem se concentrado na figura do capitão e de seus 14 tripulantes, que abandonaram a embarcação enquanto centenas ficaram presos em seu interior. Mas as críticas também têm sido direcionadas ao governo, em referência a normas de segurança negligentes e possível corrupção entre órgãos reguladores. Algumas famílias rejeitaram o pedido de desculpas da presidente. Fonte: Dow Jones Newswires.

Mais conteúdo sobre:
Coreia do Sulnaufrágio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.