Presidente sul-coreano admite possibilidade de renunciar

Enfrentando um crescente descontentamento no país, o presidente Roh Moo-hyun disse neste sábado que admite a possibilidade de realizar um referendo nacional para decidir sobre sua renúncia. Ao mesmo tempo, Roh não aceitou um pedido de demissão coletiva de seu gabinete. Roh, que tem uma relação hostil com a Assembléia Nacional, controlada pela oposição, reconheceu que não sabe se o referendo seria legal.A confusão deve se arrastar por vários meses, num período em que a Coréia do Sul tenta reativar sua economia e frear pacificamente o desenvolvimento de armas nucleares na Coréia do Norte. "Se um presidente se sacrifica na metade do mandato, e se isso serve para encaminhar a política sul-coreana, penso que representa um passo melhor para o desenvolvimento da política do que apenas cumprir o mandato de cinco anos", disse Roh em uma coletiva de imprensa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.