Presidente sul-coreano pede à Coréia do Norte maior abertura

Lee Myung-bak quer que o vizinho se abra ao resto do mundo para melhorar as relações entre os países

EFE

23 de fevereiro de 2008 | 06h13

O presidente eleito da Coréia do Sul, Lee Myung-bak, pediu neste sábado à Coréia do Norte que se abra ao resto do mundo para melhorar as relações entre as duas Coréias e a situação geral do país comunista. "Para que o complexo de Kaesong seja um sucesso, políticas de portas abertas mais fortes por parte da Coréia do Norte seriam beneficentes, para eles e para nós" disse Lee. O centro industrial de Kaesong, situado ao norte da cidade fronteiriça de mesmo nome, é um importante projeto econômico conjunto entre as duas Coréias. Trata-se de um complexo de mais de 20 fábricas de tecidos e outras manufaturas sul-coreanas nas quais trabalham mais de 25 mil funcionários norte-coreanos de baixa remuneração. Lee acrescentou que a Coréia do Sul trabalhará por uma política de paz e reconciliação no âmbito das relações internacionais, e que Pyongyang "não tem motivos" para criar tensões com o país vizinho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.