Presidente taiuanês rejeita aproximação com a China

Para Chen Shui-bian, proposta de ´não-negação mútua´ é ´ignorante e fantasiosa´

Agencia Estado

19 Junho 2007 | 11h05

O presidente taiuanês, Chen Shui-bian, rejeitou nesta sexta-feira, 15, a proposta de aproximação com a China. Ele afirmou ser "ignorante, sem sentido, inocente e fantasiosa" a proposta da oposição de "não-negação mútua" entre o país e Taiwan. Em reunião com alguns de seus partidários no distrito de Taoyuan, Chen disse que a proposta do candidato da oposição à Presidência, Ma Ying-jeou, não significa nada e não leva em conta a determinação chinesa de não reconhecer a soberania taiuanesa. Taiwan reconhece a China como uma nação, mas o governo chinês nunca abandonará sua negação da soberania taiuanesa e sua política de marginalização internacional do país, acrescentou. Ma, que está na Índia, propôs que China e Taiwan, já que não podem se reconhecer mutuamente, pelo menos parem de "se negar mutuamente" no cenário internacional. "A não-negação mútua" seria apenas o início para uma negociação entre Taipé e Pequim, segundo o líder da oposição. O candidato presidencial opositor também criticou duramente a política do atual presidente, que chamou de "fantasia irreal de uma independência de direito" para Taiwan. Ele defendeu um caminho intermediário entre a unificação com a China e a independência legal.

Mais conteúdo sobre:
China Taiwan aproximação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.